Gustav Mahler (1860-1911) foi um compositor romântico tardio e um dos principais maestros de sua geração. Ele nasceu em uma família judia no vilarejo de Kaliste, na Boêmia, no então Império Austro-Húngaro, hoje República Tcheca.

Como compositor, Gustav Mahler agiu como uma ponte entre a tradição austro-alemã do século 19 e o modernismo do início do século 20. Enquanto em vida seu status como maestro foi estabelecido sem dúvida, sua própria música ganhou popularidade na Europa (especialmente na Áustria, Alemanha e Holanda) antes da Segunda Guerra Mundial (quando as apresentações foram proibidas nesses países). Depois da guerra, os maestros emigrados popularizaram suas obras também nos Estados Unidos e no Reino Unido, e ganharam popularidade quando as gravações se tornaram amplamente disponíveis, especialmente após os anos de aniversário de 1960/61.

 

Gustav Mahler (1860-1911) - Sinfonia nº 1 (1888)

A obra de Gustav Mahler é relativamente pequena; durante grande parte de sua vida, compor era necessariamente uma atividade de meio período enquanto ele ganhava a vida como regente. Além de obras iniciais, como um movimento de um quarteto de piano, composto quando ele era um estudante em Viena, as obras de Gustav Mahler são projetadas para grandes forças orquestrais, coros sinfônicos e solistas vocais.

 

Gustav Mahler (1860-1911) - Sinfonia nº 2 (1894)

Suas obras costumavam ser controversas quando executadas pela primeira vez, e várias demoravam para receber a aprovação crítica e popular. Alguns dos sucessores musicais imediatos de Gustav Mahler incluíam os compositores da Segunda Escola Vienense, notavelmente Arnold Schoenberg, Alban Berg e Anton Webern.