Veni Creator Spiritus (“Come Creator Spirit”) é um hino que se acredita ter sido escrito por Rabanus Maurus no século IX. Quando o texto original em latim é usado, ele normalmente é cantado em canto gregoriano. Como uma invocação do Espírito Santo, na prática da Igreja Católica Romana, ela é cantada durante a celebração litúrgica da festa de Pentecostes (tanto na Terceira como nas Vésperas).

Venha o Creator Spiritus.

Também é cantado em ocasiões como a entrada de cardeais na Capela Sistina, na eleição de um novo papa, bem como na consagração de bispos, a ordenação de padres, na celebração do sacramento da Confirmação, a dedicação de igrejas, a celebração de sínodos ou conselhos, a coroação de reis, a profissão de membros de institutos religiosos e outros eventos solenes semelhantes.

1732. Pentecostes, pintado por Jean II Restout.

O hino também é amplamente usado na Comunhão Anglicana e aparece, por exemplo, na Ordenação dos Padres e na Consagração dos Bispos no Livro de Oração Comum, 1662. Ele foi traduzido em várias línguas; um exemplo em inglês é o Espírito do Criador! por cuja ajuda, escrito em 1690 por John Dryden e publicado no livro The Church Hymn 1872. Martin Luther usou-o como base para seu coral para Pentecostes “Komm, Gott Schöpfer, Heiliger Geist”, publicado pela primeira vez em 1524.

Gustav Mahler

Mitchell descreve a Parte I como semelhante a um moteto gigante e argumenta que uma chave para sua compreensão é lê-la como uma tentativa de Mahler de emular a polifonia dos grandes motetos de Bach, especificamente Singet dem Herrn ein neues Lied (“Cante para o Senhor uma nova canção ”). A sinfonia começa com um único acorde tônico em mi bemol, tocado no órgão, antes da entrada dos coros concentrados em uma invocação fortissimo: “Veni, veni creator spiritus”.

O motivo de três notas “criador” é imediatamente retomado pelos trombones e depois pelas trombetas em um tema de marcha que será usado como um fator unificador ao longo da obra. Após sua primeira declaração declamatória, os dois coros se envolvem em um diálogo cantado, que termina com uma curta transição para uma longa passagem lírica, “Imple superna gratia”, um apelo à graça divina. Aqui, o que Kennedy chama de “a presença inconfundível de Mahler do século XX” é sentido como uma soprano solo introduz um tema meditativo. Ela é logo acompanhada por outras vozes solo enquanto o novo tema é explorado antes que os coros retornem exuberantemente, em um episódio em Lá bemol no qual os solistas competem com as massas corais.

Na próxima seção, “Infirma nostri corporis / virtute firmans perpeti” (“Nossos quadros fracos se fortalecem com a tua força eterna”), a chave tônica de Mi bemol retorna com uma variação do tema de abertura. A seção é interrompida por um curto interlúdio orquestral em que soam os sinos graves, conferindo um toque sombrio à música. Esse novo clima menos seguro é realizado quando “Infirma nostri corporis” recomeça, desta vez sem os refrões, em um eco suave em Ré menor da invocação inicial. No final deste episódio outra transição precede a “inesquecível onda em mi maior” , em que todo o corpo de forças corais declama “Accende lumen sensibus” (“Ilumine os nossos sentidos”).

Segue-se o primeiro refrão infantil, alegre, à medida que a música ganha força e ritmo. Esta é uma passagem de grande complexidade, na forma de uma fuga dupla envolvendo o desenvolvimento de muitos dos temas anteriores, com mudanças constantes na armadura. Todas as forças se combinam novamente na recapitulação da seção “Veni criador” de forma abreviada. Uma passagem mais silenciosa de recapitulação conduz a uma coda orquestral antes que o coro infantil anuncie a doxologia “Gloria sit Patri Domino” (“Glória a Deus Pai”). Depois disso, a música move-se rápida e poderosamente para seu clímax, no qual um conjunto de metais fora do palco explode com o tema “Accende” enquanto a orquestra principal e os refrões terminam em uma escala crescente triunfante.

Movimento 1: Mentira 1: Hino: Veni Creator Spiritus.

Movimento 1: Mentira 1: Hino: Veni Creator Spiritus.

Movimento 1: Mentira 1: Hino: Veni Creator Spiritus, impressão de pontuação.

Hino: Veni Creator Spiritus (Venha, criador, espírito santo)

  • Parte 1.
  • Alegro impetuoso.
  • Pontuação da página: 3.
  • Barra: 1.
  • Duração: 1:34.
  • "Veni Creator Spiritus ”.
  • Coro I / II.

Veni, criador spiritus,

Mentes tuorum visita.

  • Parte 2.
  • Um ritmo. Etwas (aber unmerklich) gemassigter; immer sehr fliessend.
  • Pontuação da página: 3.
  • Barra: 46.
  • Duração: 3:34.
  • "Superna Gratia Imple".
  • Soprano I, tenor, soprano II, alto I / II, barítono, baixo; coro I / II.

Superna Gratia Imple,

Quae tu creasti pectora.

Qui Paraclitus diceris,

Donum Dei altissimi.

Fons vivus, ignis, caritas,

et spiritalis unctio.

Veni, criador spiritus, etc. 

  • Parte 3.
  • Etwas drangend - Noch einmal so langsam. (Nicht schleppend).
  • Pontuação da página: 19.
  • Barra: 131.
  • Duração: 2:10.
  • "Infirma nostri corporis".
  • Coro II / I; soprano 1 / II, alto I / II, tenor, baixo, barítono.
  • Parte 4.
  • Tempo I. Allegro, etwas hastig.
  • Pontuação da página: 24.
  • Barra: 170.
  • Duração: 1:18.
  • Parte: 5
  • Sehr fliessend - Noch einmal so langsam als vorher. Nicht schleppend.
  • Pontuação da página: 28.
  • Barra: 211.
  • Duração: 2:44.
  • "Infirma nostri corporis".
  • Baixo, tenor, alto I / II, barítono, soprano I / II.

Infirma nostri corporis,

virtute firmans perpeti; representante

  • Parte 6.
  • Plotzlich sehr breit und leidenschaftlichen Ausdrucks - Mit plotzlichem Aufschwung.
  • Pontuação da página: 33.
  • Barra: 258.
  • Duração: 4:54.
  • "Accende lumen sensibus".
  • Soprano I / II, alto I / II, tenor, barítono, baixo; coro masculino, coro I / II.

Accende lumen sensibus,

infunde amorem cordibus, rep.

Hostem repellas longius,

pacemque protinus dones;

praevio, ductore sic te praevio

vitemus omne pessimum.

Hostem repellas longius, etc. 

Munere tu septiformis,

digitus paternae dexterae.

Ductore praevio te, etc.

Tu septiformis munere, etc.

Por te sciamus da Patrem,

noscamus (atque) Filium,

(Teque utriusque) credamus Spiritum

omnitempore.

Accende lumen sensibus,

infunde amorem cordibus, etc.

  • Parte 7.
  • "Veni Creator Spiritus".
  • Pontuação da página: 54.
  • Barra: 408.
  • Duração: 4:13.
  • Soprano I / II, alto I / II, tenor, barítono, baixo; coro I / II, coro masculino.

Veni, criador spiritus, etc.

Da gaudiorum praemia,

da gratiarum munera;

pacem protinus dones;

dissolver litis vincula,

adstringe pacis foedera.

Pacemque protinus dones, etc. 

  • Parte 8.
  • Wieder frisch.
  • Pontuação da página: 65.
  • Barra: 499.
  • Duração: 2: 58
  • "Gloria senta Patri Domino".
  • Coro masculino, soprano I / II, alto I / II, tenor; coro I / II; barítono, baixo.

Glória Patri Domino,

gloria senta Domino

natoque, qui a mortuis surrexit,

Deo sit gloria et Filio

ac Paraclito

em saeculorum saecula.

Glória Pátria.

Duração total: 23:25. 

() = palavras omitidas por Mahler.


Guia de escuta

Se você encontrou algum erro, por favor, avise-nos selecionando esse texto e pressionando Ctrl + Enter.

Relatório de erros ortográficos

O seguinte texto será enviado aos nossos editores: